A Tempestade Está Aqui

3398607460_c66d03592e_b

Por Morpheus Ravenna; traduzido para o português por Wallace Cunobelinos com a permissão da autora. A versão original pode ser vista neste link: http://bansheearts.com/the-storm-is-here/ 

 

Por muitos anos eles têm nos dito para estarmos preparados: uma tempestade está vindo. Reúnam o seu povo. Estejam prontos.  A Morrigan me sussurrou isso em uma montanha batida pelo vento na primavera de 2011, e eu logo entendi que pessoas ao redor de todo o mundo estavam ouvindo a mesma mensagem. Dela e de outros Deuses também. Uma tempestade está vindo. Estejam prontos. Unam suas tribos.

Eu sinto que a tempestade está aqui. Nós estivemos sentindo suas agitações por alguns anos, ventos incertos que trazem um arrepio de alerta e carregam o odor de mais por vir. Nós temos operado por algum dentro do declínio em câmera lenta de um império; esses declínios possuem momentos de mudança gradual e tempos de caos e desmoronamentos súbitos. Este é um desses momentos.

Eu não preciso detalhar a vocês a razão para essa postagem: vocês terão visto o choque e o horror girando ao redor do mundo quando a nação mais poderosa e militarizada na terra se colocou nas mãos de um excêntrico demagogo sem respeito pela democracia, à frente de uma turba viciosamente racista, sexista e violenta. Vocês terão visto a onda de crimes de ódio, ataques, agressões e ameaças. Aqueles em maior risco entre nós — a comunidade LGBT, pessoas de cor, imigrantes, muçulmanos, judeus e mulheres — tem os olhos mais claros para o que está acontecendo.

O que fazemos? Nessa manhã, meu propósito aqui não é dar um plano de ação compreensível. Outras pessoas estão desenvolvendo essas coisas e eu posso ter mais a adicionar posteriormente.

O que eu desejo partilhar com vocês é isso: Nossa força está uns nos outros. Vocês não estão sozinhos. E por mais terrível que esse momento seja, muitos de nós tem a consciência encravada em nossos ossos de que fomos feitos para tempos como esses. Nós reconhecemos esse momento como aquele para o qual foi pedido que estivéssemos prontos, de modo que somente esse amor tão feroz de um pelo outro e somente todo esse desafio poderiam brotar em nós. Para que pudéssemos saber que, por mais aterrorizante que possa ser, os Deuses sabiam que os teríamos em nós para resistir e sobreviver se nos juntarmos. A primeira coisa que precisamos fazer é confiar uns aos outros.

Repetidas vezes, das pessoas em minha vida que estão mais em risco do ódio crescente, e do povo que o Sacerdócio Coru esteve aconselhando e apoiando nessa semana, eu tenho ouvido isso: “Eu preciso saber que vocês vão lutar por mim. Eu preciso saber que eu não estou enfrentando isso sozinho. Eu preciso saber que vocês não vão assistir e deixa-los me tornar um alvo”. Eu pensei sobre isso enquanto nos preparávamos para a nossa devoção pública de outono nesse final de semana. As palavras vieram da Morrígan:

Eu não sou um guerreiro, você disse
Por que você me chamou, Rainha?
Eu te chamei para amar
Eu te chamei para fazer do seu amor uma canção de batalha
Eu te chamei porque eu vi seu coração
Pois eu sou a Mãe dos Heróis
E eu conheço o ritmo do seu coração
Você não precisa conhecer as danças das armas
Para ser a lança em Minhas mãos
Você não precisa ser forte no corpo
Para ser o forte corpo da Minha espada
Você precisa apenas se levantar para a batida que o chama
Erga-se para Mim e diga
Empenhe ao seu coração sua batida
Empenhe ao seu povo o amor
Empenhe-se a lutar pelos outros
E eu reconhecerei você como Meu.

E ela nos deu uma promessa para fazer, uma promessa de lutar uns pelos outros. Na noite do sábado, nós nos reunimos perante um altar adornado com Seu ícone e Sua presença. Nós cantamos Seus nomes e oferecemos nossas devoções. Então nós paramos em um anel protetor, circundando e mantendo aqueles que pedem por proteção, e nos comprometemos a lutar uns pelos outros, por aqueles que estão em maior risco do que nós. Nós consagramos alfinetes de segurança para usar enquanto levamos esse comprometimento adiante a cada dia.

Mãe das Batalhas, ouça minha oração
Em tempo de violência, ódio e medo
Que a feroz força do amor me mova
Que a coragem de amor me eleve
Que a tenacidade do amor me enraíze.
Mãe dos Heróis, receba o meu coração
Conceda-me a proteção de sua presença
Conceda-me o apoio da sua hoste
Conceda-me a Luz do Herói
E eu me manterei firme pela união.
Mãe das Vitórias, receba meu compromisso:
Para o meu povo sob ataque,
Eu erguerei minha voz para silenciar o ódio
Eu a erguerei para protege-los da violência
Eu permanecerei convosco quando precisarem de um herói,
Eu enfrentarei o terror convosco
Eu partilharei descanso e proteção convosco
Eu vos abraçarei e lutarei por vós
Eu não deixarei o estado de alerta
Até que a tempestade passe e a soberania da justiça surja
Pois eu sou o corpo do amor
Eu sou a arma do amor
Eu sou o amor lutando por si mesmo.

Eu partilho isso com vocês, pois espero que seja de alguma ajuda. Todos lendo isso nesse momento, mesmo se você não tema por si, você tem pessoas na sua vida que estão em risco, que precisam de sua solidariedade e apoio. Ficará mais difícil antes de se tornar mais fácil, e a coisa mais fácil do mundo será deixar esse momento passar e se tornar o novo normal sem resistência. Vai nos custar proteger uns aos outros; isso significa assumir riscos para a nossa própria segurança, nossos trabalhos, nossa posição social. Mas saiba, e mantenha esse conhecimento, que a Luz do Herói irrompe sobre aqueles que escolham se arriscar a serviço de seu povo acima da segurança pessoal. Saiba que os Deuses da batalha e soberania estão com você quando você resiste e luta pelos outros. Saiba que é para isso que fomos feitos: para amar uns aos outros e viver.

Se essa promessa te inspirar a fazer um comprometimento similar, você é bem vindo. Adapte-a como quiser: altere a oração para incluir suas próprias divindades. Escreva outra. Diga-a perante seus Deuses, e de alguém na sua comunidade que pode receber seu comprometimento.

Nós podemos fazer isso, amigos. A vida que está em nós, a coragem, o coração, a alma, a vontade em nós são o suficiente. Se amarmos uns aos outros e deixar que esse amor ser o que mais importa.

Redes de solidariedade que provém ajuda e apoio mútuos estão sendo tecidas enquanto falamos. Se você precisar de apoio, procure-as. Como minha honrada amiga Elena Rose diz, “Encontre uma mão e a segure”.

 

(NOTA DO TRADUTOR: Aqui o post cita diversas redes de solidariedade no território norte-americano; eu as manterei em respeito ao artigo, mas é óbvio que devemos encontrar redes apropriadas em nossos próprios países)

 

Postagens recentes sobre resistência e redes de solidariedade:

Resistance Matters

Solidarity Networks

Crisis support:

National Suicide Prevention Lifeline: 1-800-273-8255

Trans Lifeline: (877) -565-8860

Trevor Project: (866)-488-7386

Helpful organizations:

Resources for Social Change

Organizing for Power

Black Lives Matter

Showing Up For Racial Justice

Campaign Zero against police violence

Support Muslim people in your community with Council on American-Islamic Relations

Help immigrants and new Americans

RAINN: Rape, Abuse & Incest National Network aiding victims of sexual violence

ACLU: Working for civil rights and constitutional liberties

Anúncios
Categorias: Uncategorized | 1 Comentário

Navegação de Posts

Uma opinião sobre “A Tempestade Está Aqui

  1. Republicou isso em Café, Amor e Beterraba!e comentado:
    “Eu te chamei para amar”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: